Cabanagem é a primeira parte do projeto Rastros, Traços e Vestígios de André Penteado. O objetivo do artista neste projeto é propor uma reflexão sobre o Brasil atual através de uma investigação fotográfica de fatos da História do Brasil, que ocorreram anteriormente à invenção da fotografia.

Sua criação partiu da ideia de que há um paralelo entre o trabalho do fotógrafo e do historiador. André acredita que, se tanto a fotografia quanto a historiografia partem da realidade, é possível dizer que ambas são resultado de decisões ideológicas daqueles que as realizam. Sendo assim, a fotografia pode ser um instrumento pertinente para reflexão sobre o processo de criação de narrativas históricas e para a investigação do passado.

Rastros, Traços e Vestígios não objetiva ser um projeto documental, mas sim propor a discussão de questões como: o que é um documento? Como certas narrativas históricas são perpetuadas? Quais resíduos do passado ainda existem no presente?

A Cabanagem foi uma das maiores revoltas ocorridas na História do Brasil. De 1835 a 1840, tomou toda a região amazônica e causou mais de 30 mil mortes. Apesar disso, sua história é virtualmente desconhecida no país.

Para realizar Cabanagem, André percorreu parte do estado do Pará, visitando, entre outras localidades, Belém, Acará, Vila de São Francisco Xavier, Cametá, Vigia e a Ilha de Tatuoca. Partindo de uma longa pesquisa historiográfica, o artista buscou, nos lugares visitados, evidências factuais e metafóricas do movimento Cabano.

Cabanagem contém, além das imagens dos lugares, retratos de pessoas que André encontrou em suas viagens, sendo que muitas delas contaram a ele suas versões da história da revolta. Estas falas foram compiladas em um vídeo de 11 horas de duração que acompanha a exposição das fotos.

Todas as imagens que compõem este trabalho têm, de uma forma ou de outra, conexões com a história cabana e com suas consequências para o tempo presente.